Dead Cross: o que podemos esperar desse projeto com Patton e Lombardo (vídeo oficial)


DEAD CROSS o novo projeto de Dave Lombardo (ex-Slayer, Suicidal Tendencies, Misfitis), com Mike Patton (Faith no More), o guitarrista Mike Crain (Retox) e o baixista Justin Pearson (The Locust) lançará seu álbum de estreia dia 4 de Agosto pela Ipecac Recordings. O projeto foi produzido por Ross Robinson que já trabalhou com Korn, Deftones, Sepultura, Limp Bizkit, dentre outros e foi masterizado no estúdio Golden Mastering em Ventura, Califórnia. 

Mas o que podemos esperar desse novo projeto?. A produção tem a cara das gravações feitas no estúdio de Ross Robinson (vide Sepultura - Mediator), um som orgânico, sem super produção, mas eficiente. O vocal foi gravado meses depois que a banda gravou o instrumental no home estúdio de Patton, onde além do vocal o vocalista adicionou alguns efeitos sonoros.  

Apesar de não trazer surpresas as musicas divulgadas até o momento são boas, rápidas e viscerais com uma pegada punk/hardcore. Já estão em pré-venda kits com camisetas e LPs vermelhos e dourados, mas um dos pontos negativos é que o novo projeto chega com pouco tempo de disco, serão apenas 28 minutos de musica espalhados em 10 faixas.   

Sobre o futuro desse projeto, ele é totalmente incerto, a banda nem sabia se Patton estava interessado em tocar ao vivo, mas parece que ele curtiu o resultado final do trabalho, resolveu fazer alguns shows e uma turnê foi marcada para Agosto e Setembro. Além de tocar o disco na íntegra a banda esta trabalhando em mais algumas musicas para completar o tempo de show e conseguir tocar pelo menos 40 minutos de musica ao vivo. 

Ouça abaixo Grave Slave, primeira musica divulgada e veja o clipe oficial de Seizure and Desist:   




Em entrevista para o programa de rádio Klos, apresentado pela da Full metal Jackie, Lombardo falou um pouco como foi trabalhar com Patton e sobre o álbum 

"bem, nós realmente não trabalhamos juntos, exceto por e-mails. [Risos], o que a gente fez foi … nós já tínhamos todas as musicas gravadas... Nós gravamos tudo no começo do ano passado, e então, claro, surgiu a necessidade de encontrar um novo vocalista. Então, nós realmente não trabalhamos juntos. Nós só enviamos as músicas para o Patton e ele gravou os vocais  sozinho. Mas trocamos vários e-mails— houve muita comunicação."

"Sim. Estou muito empolgado. Eu não se isso ia rolar. Nós não sabíamos se haveria alguma turnê, se seria apenas um álbum, mas não, Mike esta realmente empolgado." 

O baixista Justin Pearson também falou com o site Faith No More Followers sobre a entrada de Patton: 

"É difícil explicar. A banda ainda esta tentando se achar. Independente de quem você trás para a banda, o som se modela de acordo com quem faz parte dela. Vamos voltar a essa pergunta quando o álbum sair, depois de alguns shows com o novo lineup e depois disso poderemos refletir de novo sobre isso."

"Ross é uma das pessoas mais maravilhosas com quem já trabalhei. Sou muito grato pelo seu envolvimento nas coisas que consegui fazer com ele. Ele certamente me ajudou a abriu meus olhos e mente sobre várias coisas, na musica e for a da musica. E os aspectos fora da musica são tão importantes quanto a musica. No entanto, ele não gravou o Patton. A musica foi gravida e produzida com o Ross quando estávamos trabalhando com o Gabe. Quando Gabe saiu da banda, houve uma troca e então, Patton gravou seus vocais por conta própria."




0 comentários:

Postar um comentário

Lasting Maze: A nova revelação do Metal Mossoroense segue firme e almeja quebrar fronteiras



A cidade de Mossoró, a Oeste do Rio Grande do Norte tem uma cena relevante e é o berço de várias bandas do cenário potiguar, na conhecida como Capital do Oeste as bandas da nova safra veem ganhando nome no Underground Nacional, dentre elas, a banda LASTING MAZE, que é a nova revelação no underground dessa cidade.

Idealizada por Grazy Mesquita (V/K) a banda foi formada em 2014, começando de forma tímida mesclando seus shows iniciais entre músicas autorais e covers de bandas de Metal Melódico, durante esse período a LASTING MAZE sofreu algumas mudanças de formação e enfrentou vários obstáculos em sua pequena bagagem underground. Em 2016 a banda lança o EP "Silent Spring" - Lançado de forma independente e que aborda temas cotidianos, as letras foram baseadas no Livro Científico da década de 60 "Primavera Silenciosa", da Cientista e Bióloga Marinha Norte-Americana Rachel Carson.
Apesar de ser dos anos 60, tanto o livro quanto a banda abordam temas extremamente contemporâneos, temas esses que envolvem o meio ambiente e a mente humana que é um verdadeiro labirinto à ser descoberto dia após dia, o EP abriu algumas oportunidades de shows nas cidades que rodeiam Mossoró, e em alguns festivais de peso na região, como Festival DOSOL,  Festival VALHALLA, Festival SUADO, Festival COBAIA, SAMM, HGK e o SANA no Ceará, teve matérias publicadas em alguns jornais, sites, blogs e participações em algumas rádios.

Na última mudança de formação, que foi a entrada de Ceffas Fihlo (D), Grazy, que é o coração e a mais jovem da banda ganhou um novo combustível. Ceffas é Baterista e Produtor Musical, e assim como a Vocalista tem o Rock Pesado "correndo" nas veias, com esse reforço junto a Pedro Anselmo (G) e Isaac Barros (B), a banda segue na pré-produção do seu Debut, apresentando-se em eventos de Metal, fechando novas datas e em breve abrirá as negociações com selos especializados para o Full-lenght. Para conhecer mais sobre a LASTING MAZE, acesse as redes sociais da banda. 

SOUNDCLOUD
soundcloud.com/lasting-maze

YOUTUBE
https://www.youtube.com/ channel/ UCJ8yHppp5PuuZjVMJAdNJNw

INSTAGRAM
https://www.instagram.com/ lasting_maze/?hl=pt

FACEBOOK
https://www.facebook.com/ LastingMaze1/

Foto: Zenden Silva
Fonte: Dapesada Brasil

0 comentários:

Postar um comentário

Dica MPM: Alcest e o Post Rock Francês


Formada em Avinhão na França, a banda começou suas atividades em 2000 como projeto solo black metal de Neige, mais tarde se tornou um trio e hoje possui um som mais voltado para o post rock.

Membros Atuais

Neige - Vocal, Guitarra, Teclado (2000 – Presente), Baixo (2001 – Presente), Bateria (2007)
Winterhalter - Bateria e Percussão (2009 – Presente)

Discografia

Álbuns de estúdio

2007 - Souvenirs d'un autre monde


2010 - Écailles de Lune



2012 - Les Voyages De L'Âme



2014 - Shelter



2016 - Kodama




EP’s


2005 - Le Secret


2011 - Le Secret "Re-release"



Demos


1999 - Tristesse Hivernale

0 comentários:

Postar um comentário

Queens of the Stone Age: Ouça a nova 'The Way You Used to Do'


O Queens of the Stone Age, divulgou essa semana que seu novo álbum se chamará Villains e soltou agora a primeira música de divulgação desse álbum. O interessante que a musica é mais animada e pra cima (up beat) diferente do último disco da banda. Como será o pessoal vai reagir a essa mudança?.


0 comentários:

Postar um comentário

Novo single do SETI fala sobre relacionamentos sutilmente machistas


















Foto: Marcos Bacon | ZEBRAA

O S.E.T.I (Search for Extraterrestrial Intelligence) vem claramente se firmando como um dos trabalhos mais prolíficos e atuantes do interior paulista (Campinas/SP). Formado por Roberta Artiolli (vocal e sintetizadores) e Bruno Romani (guitarra, baixo, e programações) eles foram um dos vencedores do concurso cultural Original's Studio da @levisbrasil, participando desse projeto junto a: Ema Stoned, Corona Kings, Modulares e vários outros. "O Ilusionista" traz um tema sério como a banda mesmo esclareceu nas redes sociais:

"Parece zelo, parece preocupação, parece cuidado mas na verdade é opressão da mulher em todas as suas particularidades. "O Ilusionista" aponta para o machismo velado que "caras de bem" praticam o tempo todo."



Roberta trocou uma palavrinha rápida com a gente, sobre o lançamento do novo single, que fará parte do seu primeiro álbum full: 

“A música fala de machismo velado. Eu sou mulher e, como todas as outras, passo por diversas situações irritantes e constrangedoras todos os dias. No entanto, não tenho um relacionamento abusivo, na qual o machismo vem da pessoa que dispõe de maior intimidade comigo. Mas vejo muito isso acontecer ao meu redor e noto que quem recebe às vezes não percebe. Resolvi externar nessa letra a falsa preocupação que muitos caras demonstram ter com suas parceiras, parecendo sempre que eles estão as protegendo e "falando para o bem", mas na verdade tentam incutir nelas que elas não podem, que elas não deveriam, que elas não são. Errado, amigo.

Esse é o primeiro single do álbum que estamos trabalhando. Deve sair no segundo semestre desse ano. Vai ser o primeiro disco "cheio" com 10 músicas. E já dá um gosto do que vem pela frente: mais rock, mais eletrônico, buscando o equilíbrio em extremos”


Gravado, mixado e masterizado por Alexandre Pereira no Zastrás Áudio em março de 2017, produzido por Alexandre Pereira, com co-produção do próprio SETI, "O Ilusionista" foi lançado com exclusividade pelo DEEZER. A banda disponibilizou o trabalho para audição, e pode ser conferido logo abaixo:

Por: Thico Soares

0 comentários:

Postar um comentário

Pequi Alternativo: Caio Bastos e a nova MPB contemporânea


Caio Bastos nasceu em Januária/MG. É filho de escritor, de poeta, de quem muito herdou em sensibilidade e influência artística. Seu pai, Vicente Bastos, já publicou dois livros de poesia, algumas das quais inclusive foram musicadas por Caio, que pretende um dia gravar um disco com as letras do pai. Aprendeu a tocar violão na adolescência, quando também começou a compor suas primeiras músicas. E tem composto desde então. Se descobriu músico já na faculdade, em Montes Claros, quando trancou o curso que fazia e passou a estudar e conhecer música, entrou pro curso de violão técnico no Conservatório Lorenzo Fernandes, passou a compor ainda mais e a se apresentar. Hoje toca na banda O Cabaret, juntamente com outros músicos de Montes Claros e, paralelamente, está trabalhando na gravação de seu primeiro disco, autoral, que pretende lançar ainda esse ano.

Essa é uma de suas músicas que além de um toque sensual é ao mesmo tempo melancólico e delicado. Com melodias sutis ele possui um som único e estilo marcante:

Por Pequi Alternativo

0 comentários:

Postar um comentário

Pequi Alternativo: Quita volta a sua formação original


Créditos: Fred Olveira
Depois de ter ficado 3 anos parada, Quita volta a sua formação original. Os integrantes Jaípi, Zelão, Jhonathan Lopes e Juan Oliveira, estão começando novos trabalhos. E o grupo não para, a banda irá lançar novos singles que serão apresentados em agosto. A formação que começou em 2011, hoje toma forma em Montes Claros e vem representando muito bem o cenário grunge da região.

Confira o trabalho da banda no vídeo abaixo:
 Por Pequi Alternativo

0 comentários:

Postar um comentário

Pequi Alternativo: LB Shalom, Rap, Hip Hop e o Urretada Records



Como todos já sabem, fazer Rap ou Hip Hop não é fácil, é necessário conhecer o que se fala e é muito mais bonito e contagiante quando aquele que faz o som, tem a vivência daquilo que diz. Juarez Gonçalves , também conhecido como LB Shalom.

Nasceu em BH e veio morar em Montes Claros desde a infância. Um MC que nasceu da própria quebrada hoje faz um som para ela, começou sendo B-boy no Cras do seu bairro, dançava todo sábado nas batalhas da escola, o tempo passou, o menino cresceu, e como tudo de bom que vem do coração deve ser feito ele seguiu com seu caminho no Rap e vem fazendo um excelentíssimo trabalho representando os que moram no seu bairro.

Hoje juntamente com seu amigo Ramon Rodrigues são fundadores do selo Urretada Records e em seu perfil pessoal usa os beats para arrecadar verba e estruturar um projeto que possa atender outros músicos da cidade.

De subgênero lo fi, seus beats possuem agitação e calmaria num só ritmo, coisa de quem viveu na quebrada e sabe que do mesmo modo que a vida pode ser dura a gente sempre tem que caminhar ao lado da paz e do amor, e pode ter certeza que seus trabalhos estão repletos disso.



0 comentários:

Postar um comentário

The Brisantinos: data de lançamento de novo álbum, capa e clipe oficial da faixa 'faces'



Os Brisantinos, de São José do Rio Preto, anunciaram o dia 17/06 próximo como a data de lançamento de seu primeiro álbum. a capa pode ser vista acima e a banda liberou o vídeo oficial da faixa Faces que pode ser vista abaixo. O álbum será lançado em formato digital e o show de lançamento será no mesmo dia 17 no Soulbrado Espiral em São José do Rio Preto.

A banda Brisantinos começou suas atividades em 2011 em São Carlos e em busca de maiores oportunidades se mudou para São José do Rio Rio Preto.

mais informações Aqui




0 comentários:

Postar um comentário

Puta Volcano | "Harmony of Spheres" review














Que grata surpresa esse terceiro álbum do Puta Volcano, banda grega vinda da cidade de Atenas. Oriundos de um dos maiores centros artísticos, culturais e seu histórico ligado à filosofia, esses atenienses realmente me impactaram com um disco muito poderoso e relevante.

A origem do seu nome é uma referencia metafórica ao vulcão “Putana”, que se encontra na fronteira da Bolívia com o Chile e que é altamente ativo, mantendo constantes erupções.
Já o titulo do álbum remete a teoria desenvolvida e difundida por um dos seus mais ilustres conterrâneos, Pitágoras. Dizem que Pitágoras era capaz de escutar a música emanada dos planetas, através das suas órbitas pelos doze signos do Zodíaco em diferentes escalas. A matemática musical teria surgido daí. Sete tons principais que se compõe em doze sons musicais. Com a teoria da harmonia das esferas, Pitágoras tentou explicar a posição e o movimento dos planetas no céu, usando termos musicais. Assim a banda construiu um tema em volta dessa ideia, uma viajem intergalática para mundos imaginários refletindo a vida pessoal.

Na capa vemos uma coruja, o observador-viajante pelo deserto, sobrevoando destinos desconhecidos. Esse caminho que se vê na ilustração seria a música.
Em seu lançamento anterior, o Puta Volcano já mostrava parcial amadurecimento, "The Sun" (2015) traz faixas marcantes como: "Raindance/Indigos and Vulgars", "Fou", "Rockability", "The Sun". Aqui em Harmony of Spheres, nós vemos uma banda claramente amadurecida e com uma produção bastante acertada. É um disco bem consciente, onde a banda faz apostas maiores para atingir resultados naturalmente maiores!
O disco abre com a deliciosa “Dune”, isso sim são guitarras marcantes, tem uma levada rapidamente assimilada e um refrão extremamente climático como eu não escuto uma banda fazer a um bom tempo. Não bastasse isso tem ótima letra, as linhas vocais transmitem densidade, em um clima de transe. Há elementos psicodélicos aqui e ali percorrendo o álbum.


Em “Bird” nós já percebemos algumas harmonias vocais como aquelas famosas dobras vocais do AIC. Harmonias vocais bastante sombrias, dando uma atmosfera bem dramática, impossível não lembrar do Alice in Chains aqui. Em uma parte da letra, Luna canta “Days die young in outer space I drift high up/high fly”. Aqui ela mostra seu poderio vocal terminando numa interpretação mais rasgada com drives muito bem controlados.
Jovian Winds” é um som assombroso, pesado e mais iluminado. Ótimo timbre de guitarra, vocais maravilhosos, refrão que não te larga nunca mais: “It's your hands that hold us when we stumble and fall. It's your voice that tells us jokes when everything's wrong”. Eu realmente tenho que dizer que esse disco foi feito de um trabalho vocal como não encontro na maioria das bandas de stoner rock atualmente. Esse é um mérito inegável! Não é a toa que eu bato nessa tecla tantas vezes.
As composições desse disco são um destaque a parte, e o ótimo trabalho de bateria também merece ser lembrado. As dinâmicas de bateria realmente me lembram os melhores bateristas do gênero, nota por nota há um trabalho percussivo muito bem estruturado!

Em “Zeroth Law” Temos um som mais groove. Vocais, vocais, vocais... sempre formidáveis. Os detalhes dos arranjos de baixo aqui dão toda beleza a esse som, e uma guitarra que soa tão bem!
Quanto ao refrão, de longe um dos mais incríveis do álbum, é um dos pontos altos do trabalho lírico, eu realmente me afeiçoei a ela:

Hey 
Stack your gold and hide away
Clench your fist and hit

Away
Solitude's a hair away
You're the needle in the 
Hay

Probably will end the same
Wiser men have tried and 
Failed”


Neon” provavelmente poem o Puta Volcano num contexto de rock mais atual, com riffs de guitarra mais ligados ao som dessa geração, já que o tempo todo lembramos de referencias 90’s. É preciso dizer, ótimo som!!!
Moebius”, a bateria aqui se estabelece como um dos elementos mais fortes, impondo uma visão rítmica ótima para quem gosta de sair do “mais do mesmo”. É uma música bem pesada com vocal bastante potente. Aqui se encontra minha linha de bateria preferida. Fluida e bastante intuitiva.
Afterglow” também traz um trampo de bateria bem empolgante com lindas ghost notes e dinâmicas diferentes. Fiquei até confuso agora qual minha faixa favorita em termos de bateria... realmente, complicou!
Aqui nós temos um dos poucos solos de guitarra do álbum, mas tudo bem medido e de muito bom gosto!!!

Por fim temos “Infinite” uma faixa com guitarras mais sintonizadas com o rock moderno. Particularmente já considero esse disco um dos destaques de 2017, por ser um álbum onde não existe necessidade de pular faixas, é um disco com faixas realmente fortes.
O disco foi lançado em vinil, CD, e também no formato digital.
Vale super a pena ser conferido!



Membros:
Luna Stoner (Anna Papathanasiou)
Alex Pi
Bookies
Steven Stefanidis

Produzido por: Johnny Tercu e Puta Volcano
Gravado e mixado no Unreal Studios por Alex Ketenjian
Masterizado no Fascination Street Studios por Jens Bogren
Capa e layout por Katerina Karali
Ano: 2017
Gênero: Grunge/Alt. Rock/Stoner

Tracklist
Dune
Bird
Jovian Winds
Zeroth Law
Neon
Moebius
Afterglow
Infinity

Por: Thico Soares

0 comentários:

Postar um comentário

Megadeth: cover bizarro de Outshined do Soundgarden em homenagem a Chris Cornell (vídeo)


Megadeth esta em turnê pelo Japão e no show de hoje tentou fazer uma homenagem a Chris Cornell que não acabou nada bem, primeiro a platéia começa a gritar um monte de asneira enquanto Dave Mustaine tenta falar algumas palavras sobre Chris Cornell, mas tem que parar para chamar um membro da plateia de idiota e mandar que o resto cale a boca para conseguir finalizar. E pra acabar a versão improvisada de Outshined saiu, digamos que, vergonhosa. 


0 comentários:

Postar um comentário

Honeymoon Disease: Electric Eel (Vídeo)



O Honeymoon Disease acaba de lançar seu mais novo single "Electric Eel", prensado num belo vinil 7 polegadas.
Se você não conhece o Honeymoon confira o review que fizemos do seu álbum de estreia, "The Transcendence" de 2015 (a propósito, a produção ficou a cargo de Nicke Andersson das bandas Hellacopters, Imperal State Electric e Death Breath). Aqui
O single ainda recebeu um vídeo produzido por Max Ljungberg. A banda promete novo lançamento nos próximos meses.
Confira o vídeo na sequencia:



0 comentários:

Postar um comentário

Acontece o Grito Rock em Montes Claros


No próximo sábado (06 de maio) ocorrerá a partir das 15:00 na cidade de Montes Claros o Grito Rock, chegando na sua sexta edição na cidade. O evento é organizado pelo coletivo A Invasão.

O evento contará com a presença de bandas da cidade como Mentira, Desert Grass, Animal Core e Pedro Tommaso e os Tordesilhas; além da participação de bandas de outras localidades, como a Elizia de Belo Horizonte (MG) e Garatujos de São Luís (MA).

Detalhe, o evento será realizado na praça Dr. Carlos no centro da cidade além de ser gratuito.
Confira as bandas:

Garatujos:



Elizia:



Mentira:



Desert Grass:



Animal Core:



Pedro Tommaso e os Tordesilhas:


0 comentários:

Postar um comentário

Zakk Sabbath: Saiba os detalhes do EP e assista o vídeo oficial de War Pigs



Zakk Sabbath, a banda cover do Black Sabbath do guitarrista Zakk Wylde esta prestes a lançar o seu primeiro EP o "Live In Detroit". Além do guitarrista a banda é composta pelo baixista Rob "Blasko" Nicholson (Ozzy Osbourne, Rob Zombie) e pelo baterista Joey Castillo (Danzig, Queens of the stone age, Bl'ast!).

Para divulgar esse EP a banda liberou o vídeo oficial de War Pigs. O EP será lançado em vinil com várias cores variantes e será prensado apenas uma vez

"Live In Detroit" track listing:

Side A
01. War Pigs (13:25)

Side B
02. Supernaut (4:57)
03. Fairies Wear Boots (7:33)








0 comentários:

Postar um comentário

Korn: Filho de Robert Trujillo estreia com a banda na Colômbia (videos)


Tye Trujillo, filho de Robert Trujillo, estreou na Colômbia com o Korn, a banda tem apresentações em São Paulo no Espaço das Américas no dia 19 de abril, em Curitiba no Live Curitiba no dia 21 de abril, e em Porto Alegre no Pepsi on Stage no dia 23 de abril


Uma publicação compartilhada por Korn (@korn_official) em



0 comentários:

Postar um comentário

A perfect circle: Guitarrista explica a demora no lançamento de novas musicas



O Guitarrista Billy Howerdel explicou um pouco sobre a demora no retorno do A perfect circle aos palcos e sobre a demora no lançamento do novo álbum. 

"Em um mundo perfeito pra mim, eu faria um disco, turnê, daria um pausa, faria um disco, turnê. Mas há muito custo nisso também. Existe a vantagem da sede de tocar quando ficamos muito tempo sem tocar, e isso faz com que a gente aborde as coisas de uma forma diferente. É como se te perguntasse: 'você gostaria de comer algo delicioso todos os dias?' e você responderia'Sim claro,' mas se você não pode, então quando você tem a chance você aproveita."
"Eu sempre estou aqui, pronto esperando que o Maynard tenha um tempo livre em sua agenda. A questão é que, se você sabe alguma coisa sobre ele então você sabe que….várias coisas prendem sua atenção, ele possui sua própria vinícola, ele é um pai, casado e possui três bandas. Encontrar um tempo livre com ele para fazer um turnÊ não é algo que a gente possa fazer de uma vez ou agenda com um mês de antecedência. É preciso planejamento, precisamos avisar com um ano de antecedência para conseguir uma data na agenda." 

0 comentários:

Postar um comentário

DAVE LOMBARDO: MIKE PATTON esta empolgado para tocar ao vivo com o DEAD CROSS



DEAD CROSS o novo projeto de Dave Lombardo (ex-SLAYER, SUICIDAL TENDENCIES, MISFITS), que conta com a participação de Mike Patton (FAITH NO MORE), lançará seu álbum de estreia agora na metade do ano pela Ipecac Recordings. O projeto foi produzido por Ross Robinson, que já trabalhou com KORN, DEFTONES, SEPULTURA e LIMP BIZKIT, entre outros e foi masterizado no estúdio Golden Mastering em Ventura, Califórnia. 

Em entrevista (áudio abaixo) para o programa de rádio Klos, apresentado pela da Full metal Jackie Lombardo falou um pouco como foi trabalhar com Patton e sobre o álbum 

"bem, nós realmente não trabalhamos juntos, exceto por e-mails. [Risos], o que a gente fez foi … nós já tínhamos todas as musicas gravadas... Nós gravamos tudo no começo do ano passado, e então, claro, surgiu a necessidade de encontrar um novo vocalista. Então, nós realmente não trabalhamos juntos. Nós só enviamos as músicas para o Patton e ele gravou os vocais  sozinho. Mas trocamos vários e-mails— houve muita comunicação."
"Sim. Estou muito empolgado. Eu não se isso ia rolar. Nós não sabíamos se haveria alguma turnê, se seria apenas um álbum, mas não, Mike esta realmente empolgado." 

O baixista Justin Pearson também falou com o site Faith No More Followers sobre a entrada de Patton: 

"É difícil explicar. A banda ainda esta tentando se achar. Independente de quem você trás para a banda, o som se modela de acordo com quem faz parte dela. Vamos voltar a essa pergunta quando o álbum sair, depois de alguns shows com o novo lineup e depois disso poderemos refletir de novo sobre isso."
"Ross é uma das pessoas mais maravilhosas com quem já trabalhei. Sou muito grato pelo seu envolvimento nas coisas que consegui fazer com ele. Ele certamente me ajudou a abriu meus olhos e mente sobre várias coisas, na musica e for a da musica. E os aspectos fora da musica são tão importantes quanto a musica. No entanto, ele não gravou o Patton. A musica foi gravida e produzida com o Ross quando estávamos trabalhando com o Gabe. Quando Gabe saiu da banda, houve uma troca e então, Patton gravou seus vocais por conta própria."




0 comentários:

Postar um comentário

LIFE OF AGONY: vídeo oficial de World Gone Mad'


"World Gone Mad", novo vídeo do LIFE OF AGONY, já pode ser visto abaixo. Esse single esta no novo álbum de retorno da banda, "A Place Where There's No More Pain", que será lançado em 28 de Abril pela Napalm. O quinto disco do LIFE OF AGONY é o primeiro da banda desde que sua vocalista Mina Caputo (antes conhecida como Keith Caputo) se assumiu como transsexual em 2011.







0 comentários:

Postar um comentário

Dica MPM: Mad Season / Temple of the Dog ao vivo em Seatle (show completo de 2015)


Em 2015 um evento organizado pelo guitarrista Mike Mccready reuniu o Mad Season e o Temple of the Dog em uma única apresentação com a orquestra sinfônica de Seattle, O show contou com Chris Cornell nos vocais, Duff Mckagan no baixo e a participação de membros do Pearl jam, Soundgarden e Alice In chains. Foi lançado até um disco ao vivo desse show com o nome de Mad Season & The Seattle Symphony - Sonic Evolution

Graças a internet o áudio desse disco ao vivo foi incorporado as imagens do show e agora podemos desfrutar em HD de todo esse momento histórico. uma grande homenagem aos dois projetos e ao falecido guitarrista Layne Staley.    

Intro
Waking the Horizon
Long Gone Day
River of Deceit
I Don't Know Anything
Wake Up
Lifeless Dead
I'm Above
Call Me a Dog
Reach Down
All Alone




1 comentários:

Postar um comentário

Conheça os vinis mais loucos já produzidos


Vinis com sangue, cabelo, com holograma, preenchidos com líquido, com capas interativas e até holograma, esses vídeos contém a nata dos vinis limitados mais criativos já inventados.Destaque para o do Flamming Lips que vem com sangue dos integrantes da banda.


0 comentários:

Postar um comentário

Bobaflex: um incrível cover de Hey You do Pink Floyd


O Bobaflex liberou o vídeo oficial de sua versão para o clássico Hey You do Pink Floyd, o cover é o primeiro single do novo álbum da banda que será lançado ainda esse ano.


0 comentários:

Postar um comentário

Animals as Leaders: confirmado primeiro show no Brasil / Matt Garstka - Ectogenesis Playthrough



A produtora Overload confirmou hoje que trará o Animals as Leaders pela primeira vez ao Brasil. O show será realizado em São Paulo, no Carioca Club dia 29 de Julho (Veja flyer abaixo). 

E pra aguçar ainda mais a vontade conferir a banda ao vivo fica aqui o playthrough de Matt Garstka liberado esse final de semana da faixa Ectogenesis do último álbum da banda. 




0 comentários:

Postar um comentário

Taboo: video oficial de 'Claridade'


A banda Taboo, de Montes Claros MG, liberou o vídeo oficial de seu novo single Claridade. Há um ano atrás também divulgamos o single 'a sua cor' , seguem os dois ai: 




0 comentários:

Postar um comentário

THE VOYNICH CODE "I, The Weak" Dual Guitar Playthrough


O The Voynich Code que já liberou o video oficial de I, The Weak, agora libera um "dual playthrough" da mesma faixa, A banda esta prestes a lançar o seu novo álbum, o 'Aqua Vitae' que sai dia 05 de maio pela Primordial Records


0 comentários:

Postar um comentário

GRAND MAGUS - Freja's Choice (OFFICIAL VIDEO)


O trio sueco Grand Magus liberou vídeo oficial de Freja's Choice, do oitavo disco da banda Sword Songs, o disco foi lançado no último dia 13 desse mês em todo o mundo.



0 comentários:

Postar um comentário

Review: Serpentine Dominion

Vamos lá: Adam Dutkiewicz  do Killswitch Engage nas guitarras/baixo e alguns backins, Shannon Lucas ex-Black Dahlia Murder cuidando da bateria e George “Corpsegrinder” Fisher do Cannibal Corpse/Monstrosity no vocal.

A minha critica ao Death Metal moderno muitas vezes é pontuada pelo vocal... a falta de originalidade ou personalidade no registro de voz dos vocalistas atuais, que não são ruins, no entanto eu definitivamente sinto falta de algo. Agora isso não é um problema para George que figura seguramente no panteão dos melhores, mais destacados e importantes vocalistas do seguimento junto a: Jeff Becerra, Tom G. Warrior, Kam Lee, Chris Reifert, Chuck Shuldiner, Kelly Shaefer, Cris Barnes, Oscar Garcia, Jeffrey Walker, Max Cavalera, Piotr "Peter" Wiwczarek, Nick Holmes, Juan Brujo, Barney Greenway, David Vincent, John Tardy, Frank Mullen, LG. Petrov, Johnny Hedlund, Matti Kärki, Ola Lindgren , Steve Rowe, Jan-Chris de Koeijer, Wagner Lamounier, Martin Schirenc , Paul Kuhr , Martin Van Drunen , Johan Hegg, Glen Benton, Bret Hoffmann, Alex Camargo, Tony Norman, Mikael Akerfeldt e tantos outros que definiram os pilares do vocal gutural. Se houvesse uma escola pra isso, certamente eles estariam entre as disciplinas.

O álbum homônino é curto, o que particularmente me agrada, já que dá o recado e capta bem o espírito de urgência que a música transmite.
Logo após uma "Intro" você já sente um solavanco com "The Vengeance in Me". Repeti várias vezes pra me certificar que não são necessários mais que 2 segundos para reconhecer o vocal animalesco de George Fisher. Essa música e algumas outras tem certas características ligadas a sonoridade do Cannibal Corpse em alguns riffs, alavancadas, e harmônicos dissonantes, ainda assim não se engane, aqui você encontra um Death Metal mais moderno, com uma produção que deixa isso bem claro.


Em "Vanquished Unto Thee" vemos pela primeira vez provavelmente a voz de George intercalada a vocais melódicos, que ficaram por conta de Adam (isso também ocorre em “Jagged Cross Legions”  e “This Endless War” inclusive. É possível que desagrade os puristas do gênero). Apesar das passagens melódicas é incrível como eles conseguem mescla-las a momentos violentíssimos de forma bem natural.

Eu ainda destacaria a faixa “On the Brink of Devastation” porque resume bem a ideia do projeto. Um instrumental intrincado, com um som de bateria cravado, seguro e com boas variações de andamento, o ótimo trabalho de guitarra de Adam e os vocais velocíssimos de George.

As letras são bem escritas e funcionaram muito bem! Os créditos vão para Jesse Leach (Killswitch Engage/Seemless) que foi escalado para tal tarefa.

O lançamento do disco ficou a cargo da Metal Blade Records.

Por: Thico Soares

0 comentários:

Postar um comentário

Steven Adler - Preso no passado e dependente do Gn'R agora nem pode mais falar sobre a banda



Após suas participações na atual turnê de reunião dos três principais integrantes do Guns 'n Roses, Steven Adler, provavelmente após ser dispensado de participar dos shows com a banda, resolveu falar em alto e bom tom sobre como é triste tocar apenas uma ou duas musicas por noite com sua antiga banda. 

O mais triste das suas últimas entrevistas é que Steven Adler se mostrou totalmente dependente de uma banda da qual saiu desde 1990 e gravou apenas um disco. O musico parece incapaz de seguir em frente, de montar outra banda e fazer outra coisa, apenas agradece pela oportunidade que teve na esperança de ser chamado pelo Gn'R novamente o mais rápido possível. Apesar de demonstrar desaprovação por ter participado tão pouco, ao mesmo tempo, agradece e bajula muito principalmente Axl (com quem falou apenas por 10 segundos!!) para não perder outra chance, chegando até a pedir a Slash que sugira Axl uma reunião com ele e Izzy para Julho. E como resultado por ter falado demais nas últimas entrevistas, Steven que parece estar preso a um contrato com a banda, agora foi proibido de falar qualquer coisa a respeito e comentar sobre a reunião. 

Por fim, nessa história precisamos sempre ter em mente que o Gn'R é uma empresa gigante, possui um dono, rende milhões, o profissionalismo e os negócios com certeza imperam sobre a amizade e Steven Adler até poucos anos atrás se mostrou totalmente irresponsável quando em turnê pelo japão com o Loaded, banda de Duff, mal conseguiu tocar em algumas noites por causa de sua dependência química, o que queimou ainda mais sua imagem com o restante do grupo. Talvez não haja a quem culpar aqui, mas até o momento a empresa de Axl Rose não quer o funcionário Steven Adler e o baterista se sujeita a qualquer situação para retornar a banda.  



Segue abaixo uma compilação das entrevistas de Steven Adler amplamente já divulgadas em outros sites em momentos diferentes, todas de 2017, que serviram de base para a matéria:

Como foi tocar com Axl, Slash e Duff McKagan pela primeira vez após 26 anos:

Adler: "Foi tipo 'Graças a Deus por este maravilhoso presente'. Vinha praticando 25 músicas do 'Appetite' e 'Use Your Illusion' duas vezes por dia durante dois anos, pois quando percebi que a reunião provavelmente aconteceria eu queria estar em ponto de bala. Daí no segundo ensaio com a banda, machuquei meu ombro e passei por uma pequena cirurgia. Depois que fiquei pedi pra voltar, mas não aconteceu e eu fiquei ressentido. Mas decidi não manter este sentimento e eis que me chamaram e foi um sonho realizado tocar para milhares de pssoas com Slash e Duff e Axl. Eu gostaria que Izzy (Stradlin) também estivesse presente mas tudo bem, graças a Deus, era algo que eu aguardava por 26 anos. Todo dia as pessoas - e não eram apenas uma ou duas, mas cinco, seis, dez, dezenas de pessoas quando eu fazia um show - me perguntavam 'quando vocês vão voltar?' Eu gostaria que nunca tivéssemos nos separado".

Se ele sabia já nos ensaios que tocaria apenas uma ou duas músicas:

Adler: "Eu entendi que tocaria todo o material do 'Appetite', do 'Lies' e três ou quatro músicas do 'Use Your Illusion', e então Frank (Ferrer), que é um sujeito fantástico, faria a parte do 'Chinese Democracy' e outras músicas... eu começaria o show, ele entraria no meio e eu finalizaria. Pra mim estava maravilhoso deste jeito".

Quando ele percebeu que os planos haviam mudado:

Adler: "Eu estava pronto para fazer o show no Troubadour (dia 1º de abril de 2016). Como eu disse, vinha ensaiando 25 músicas por dia nos últimos dois anos, estava pronto pra tocar. Ensaiei em janeiro, fevereiro, março. E então naquele ensaio eu me machuquei. Foi terrível. Fiquei fora por duas semanas, operei e me recuperei, estava pronto para o Troubadour e Duff me chamou e disse 'Cara, você não vai mais tocar conosco. Você não vai fazer estes shows'. Fiquei muito puto com ele, xinguei e disse que ele era a pior pessoa do mundo. Depois tentei falar com ele novamente e deixei uma mensagem pedindo desculpas pelo que eu tinha dito. Na verdade eu não queria dizer que ele era a pior pessoa do mundo mas sim que eu era esta pessoa, por não conseguir tocar com os caras depois deles me oferecerem a oportunidade. Mas acabei dizendo isto para ele. E quando você guarda mágoas acaba dizendo o que sente, e eu disse aquilo pra ele mas era sobre mim. Ele sabe que eu o amo mais que tudo, e eu me desculpei com Duff, fizemos shows juntos ano passado e ele entendeu o que aconteceu".

Por que ele tocou apenas uma música com o Guns N' Roses nos dois shows em Buenos Aires, na Argentina:

Adler: "Eu estava lá com minha esposa (que é argentina), sua família, seus pais, irmãs, sobrinhas, tios, e Axl disse 'Mas que diabos ele está fazendo aqui? Ele não deveria tocar só amanhã?'. Eu pedi desculpas e disse que tinha voado 15 mil milhas pra estar ali. Daí a banda tocou mais algumas músicas e eu subi ao palco, ele me apresentou, toquei uma música e eles apagaram as luzes atrás de mim. Fui pra trás do kit de bateria pensando 'Que diabos acontece?'. E toda a equipe técnica veio me abraçar e parabenizar 'Cara, nós te amamos, Steve. Está tudo bem'. Eram umas vinte pessoas falando comigo. E na noite seguinte toquei mais uma música. Não quero falar sobre outras coisas. O que quero guardar de lembrança é que eu e minha mulher estávamos juntos com sua família após 15 anos. Eu obviamente compreendi mal, achei que eu deveria viajar pra Austrália e Japão e Tailândia. Eu disse 'Sim, adorarei fazer estes shows'. Mas explicaram que eu deveria escolher apenas um deles, e eu disse que não podia escolher. Mas é como eu disse, estive próximo deles e sou grato pelo que vivi".

Se ele mantém algum ressentimento com os caras do Guns N' Roses:

Adler: "Não, não, não, de forma alguma. Amo aqueles caras. As coisas são como são. Eu gostaria que fôssemos nós cinco participando da turnê, mas as coisas são como Axl quer que sejam, e eu o respeito por isto. Sou grato por ter participado das coisas quando eram divertidas e empolgantes. Foi mágico quando estávamos juntos (no final dos anos 80). Naquela época, mesmo nossos piores shows eram grandiosos, era tudo mágico, especial. Fui abençoado e presenteado de ter feito parte daquilo. Tenho muito orgulho, carregarei este sentimento até morrer, e estou bem com isto (risos)".

Se não há mais possibilidade dele tocar com o Guns N' Roses:

Adler: "Se eles quiserem fazer da maneira certa, com os cinco (integrantes da formação clássica)... E, como eu disse, não me importo de compartilhar o palco com Frank, desde que eu toque minhas músicas, não me importo. Mas se formos nós cinco eu estou dentro! Adoro aqueles caras, tenho orgulho do que fizemos... e como nós cinco ainda estamos vivos, acho que deveríamos tocar para nossos fãs, dar a eles o que querem".

Sobre o momento que falou com Axl: 

"Falei com ele por apenas dez segundos, literalmente. A primeira noite que toquei em Cincinnati eu ganhei um aperto de mãos e um sorriso, e foi o suficiente pra mim. E então em Los Angeles eu lhe dei um pequeno abraço e apertei sua mão e disse que o amo e ele é foda e agradeci por me dar a oportunidade. E depois ele seguiu o caminho dele e eu fui fazer minhas coisas. Desde então estou curtindo aquilo. Ele é Axl Rose. Ele se entrega muito, transmite muito sentimento, é um monstro no palco, então precisa descansar pelo menos uma hora após os shows. E Slash e Duff são muito divertidos. Quando estivemos juntos nos ensaios o pessoal dizia que eu preciso aparecer mais, pois eles dão muitas risadas quando eu estou lá. Eu disse que adoraria, mas as coisas são como são".

Sobre a proibição de falar sobre o Guns

"Tive a melhor experiência de minha vida tocando com eles no ano passado. Gostaria que Izzy (Stradlin, guitarrista) também estivesse presente, mas foi excelente já que pude finalmente encerrar um ciclo, foi maravilhoso. Não tenho mais nada a dizer, sinto muito de fato. Isto é tudo que posso te contar, não há mais nada. Eu literalmente, literal e honestamente, não posso sequer te dizer o motivo pelo qual não posso falar mais nada. Literalmente, okay? Não posso mesmo, simplesmente não posso".




0 comentários:

Postar um comentário

Fleddy Melculy - Apu van de nightshop clipe animado produzido pela excelente IMOV


Fleddy Melculy é uma banda da bélgica com um som bem humorado e cheio de palhaçadas, cantado no idioma dos caras mesmo. o novo clipe da faixa Apu van de nightshop é uma pedrada hardcore e o vídeo foi produzido pela Excelente IMOV videos que já postamos uma matéria com vários vídeos produzidos por eles aqui

nos outros videos dos caras tem zoeira com vegetarianos, com o Metallica e com Dimebag Darrel. vale a apena conferir. 






0 comentários:

Postar um comentário

JINJER - Pisces retrabalhada e ao vivo em estúdio


Pisces é uma música do King of Everything, primeiro disco do Jinjer Pela Napalm Records. A banda resolveu liberar essa sessão ao vivo em estúdio depois de ver como a música ficou interessante com o novo baterista Vlad Ulasevich, a letra da musica também foi aumentada e modificada se comparada com a original do disco. 









0 comentários:

Postar um comentário

Dica MPM: Sem Dentes | Banguela Records e a Turma de 94.


Foi em 1994 que o produtor Carlos Eduardo Miranda e a banda Titãs se juntaram para fundar o Banguela Records, um selo subsidiário da Warner Music. Trabalho que  catapultou para o mainstream nomes como Raimundos, Mundo Livre S/A e Maskavo Roots.

O documentário que conta com pouco menos de duas horas, traz uma série de entrevistados, entre eles: Samuel Rosa (Skank) Charles Gavin e Nando Reis (Titãs) Dado Villa-Lobos (Legião Urbana) Fernanda Takai e John Ulhoa (Pato Fu) Gabriel Thomaz (Autoramas, Little Quail & The Mad Birds, Gabriel Thomaz Trio), Carlos Pinduca (Maskavo Roots), Digão e Canisso (Raimundos), Zero Quatro (Mundo Livre S/A), além de Gastão Moreira (Musikaos, Kazagastão, Heavy Lero / ex-VJ da MTV Brasil) Cesar Gavin (Vitrola Verde), André Forastieri (BIZZ, Set, Editora Acme/Conrad, Folha de S. Paulo) e vários outros.

Acredito que permeie bem a história da geração do rock dos anos 90 no Brasil, que mostrava grande diversidade musical e buscava finalmente estar alinhada com o que acontecia lá fora. Naturalmente o documentário está amarrado a história do selo, pois havia vários outros batalhando com diversos artistas independentes na mesma época, o que não tira o mérito desse excelente documentário!

Com direção de Ricardo Alexandre, roteiro de Ricardo Alexandre e Alexandre Petillo,  edição e fotografia de André Pires, o doc exibido anteriormente no Canal Brasil está disponível no Youtube. (sabe se lá até quando, então confira o quanto antes).

Por: Thico Soares

2 comentários:

Postar um comentário

The Voynich Code: vídeo oficial de Delusion


The Voynich Code libera vídeo de Delusion com participação de Jake Luhrs do August Burns Red. A banda esta prestes a lançar o seu novo álbum, o 'Aqua Vitae' que sai dia 05 de maio pela Primordial Records. Anteriormente pra quem perdeu a banda lançou o single I, The Weak que também pode ser visto abaixo.

As musicas novas, pelos menos as duas divulgadas, parecem trilhar uma caminho mais técnico e brutal, "menos comercial" (bem entre aspas mesmo) do que as musicas do primeiro EP. 








0 comentários:

Postar um comentário

Animals as Leaders - vídeo oficial de Cognitive Contortions


O Animals as Leaders libera o novo vídeo de Cognitive Contortions do álbum Madness of Many. A banda não costuma lançar tantos vídeos assim e meio que lançou o Madness of many de uma vez sem vídeos mostrando o processo de gravação ou qualquer divulgação maior que não fosse o anuncio do nome, capa e data. Esse vídeo poderia ter vindo até antes do álbum pra dar uma animada, mas AAL sempre é garantia de boa musica.   




0 comentários:

Postar um comentário

Boobarellas: Assista Vídeo Oficial de "Mutilate Me"


















Atualmente quantas bandas nacionais você conhece que ultrapassam os 20 anos de estrada?
Pois a banda curitibana Boobarellas está nessa jornada desde 1995. Atualmente formada por Guile Scarantino, Guaco e Cris, e contando com vários lançamentos entre álbuns e eps, eles acabam de lançar seu mais novo vídeo para a faixa "Mutilate-Me", uma versão para a coletânea gringa "Skate Or Fly" | A tribute to Teenage Bottlerocket, uma compilação realizada pelo selo alemão "Ramone To The Bone Records", disponibilizada digitalmente de forma gratuita.

Importante dizer que é um laçamento em memória do baterista do Bottlerocket, Brandon Carlisle. Em 2015 Brandon foi encontrado inconsciente em sua casa e após três paradas cardíacas seguiu internado na UTI de um hospital por onde permaneceu em coma até a confirmação do óbito.

A parte de produção, mix e master da faixa, que foi captada ao vivo em estúdio, ficou por conta de Cesinha Mattos. O vídeo com assinatura e direção de Alceste Ribas da Fan Films, acaba de ser lançado e divulgado nas mídias sociais da banda.

Mais 3 bandas brasileiras aparecem nesse V/A, o Flanders 72 (que fez a abertura dos shows do TBR em 2014 no Brasil), o Impatients e o Lomba Raivosa que fez uma versão em português para "Punk House of Horror".

Por: Thico Soares

1 comentários:

Postar um comentário