Jim Root detona o stone sour, fala sobre corey e declarações da viúva de Paul


Em entrevista para a rádio australiana Triple J, Jim Root falou sobre sua saída do Stone Sour: 

Root disse: “Eu acho que de algumas formas, há algumas pessoas naquela banda [STONE SOUR], que são extremamente impacientes e eles acham que tem que ter tudo e que precisam perceber que a única razão de terem tudo isso é porque o SLIPKNOT tornou possível para eles terem tudo isso. O SLIPKNOT graciosamente e gentilmente ficou de lado e deixou essa outra banda ter tudo que sempre quis ou precisou, e ainda assim essa banda não quer tirar uma pausa para o SLIPKNOT fazer o que precisa fazer E, eu não sei, para mim... parece que foi uma espécie de tapa na cara. Isso chegou a um ponto para mim, onde eu não podia mais aguentar, eu precisava trabalhar no SLIPKNOT, e era aparente, e estava se tornando mais e mais aparente a cada show que fazíamos.”

Sobre se sua relação com Corey melhorou ele disparou: 

“Pode ser que sim. Mas eu nunca tive um problema com Corey. Entende o que quero dizer? Corey e eu nos entendemos bem melhor do que qualquer outra pessoa de outras bandas podem, porque estamos fazendo hora extra por todos esses anos. E quando você tem outras pessoas nessas bandas que não dividem isso com você, eles nunca podem entender realmente o que é isso. E após um tempo, você se torna tão cansado que é difícil entregar cem por cento em cada uma das coisas e eventualmente chega um momento onde você tem que dizer: ‘Chega!’ e ‘Eu preciso me focar cem por cento naquilo que tornou tudo possível para nós.’ E, vamos ser sinceros, o SLIPKNOT é uma das maiores bandas do mundo, ele tem um status cult, e é onde minha paixão vive. Isso não é dizer que eu não tinha paixão pelo STONE SOUR, eu sou absolutamente apaixonado por tudo em que eu contribui no STONE SOUR – mas há certas pessoas nessa banda que tem uma ideia diferente do que o STONE SOUR deve ser, entende o que estou dizendo? Eu prefiro ser criativo e artístico e poder tocar essa música intrincada que lhe realmente leva em uma jornada. O mais perto que o STONE SOUR chegou disso foi com os dois últimos álbuns, e eu não sei se vão conseguir fazer isso no futuro novamente.”

Recentemente a viúva de Paul, Brenna Gray, testemunhou no julgamento de homicídio culposo do médico que tratou Paul poucos dias antes de sua morte em 2010 e disse que ela tentou pedir ajuda aos companheiros de bandas, mas que nenhum quis se envolver. Ela revelou: "Um deles estava jogando golfe a dois minutos da nossa casa, mas não podia vir. Ninguém se importou, ninguém se envolveu. Eles disseram que era problema meu."

Perguntado se Brenna estava errada em fazer esses comentários durante o julgamento, Root contou a Rock Magazine: "Provavelmente ela vai dizer qualquer coisa que ela acha que deve dizer para os advogados ouvirem.. Paul era nosso irmão; Paul era muito próximo de nós. Nós tentamos colocar Paul em tratamento inúmeras vezes, nós tirávamos ele de turnês pera tentar interferir. Eu parava na casa de Paul com a minha ex-namorada e ele ainda estava na cama.

Existem várias circunstâncias e dinâmicas ali e tenho certeza que ela está sofrendo muito e tentando encontrar alguém para colocar a culpa. No fim do dia, Paul estava doente, Paul tinha um problema e nós estávamos ali pelo Paul. Paul não estava sempre disponível.

Me sinto mal. Me sinto mal por toda a situação."

Questionado se realmente os membros do Slipknot se preocuparam o suficiente com o estado de saúde de Paul, Jim respondeu: "Absolutamente. Ele é nosso amigo, é nosso irmão, é nosso compatriota. Ele sempre fará parte das nossas vidas não importa o que aconteça.

O que você pode fazer? Se você tem uma doença, você tem que tentar curar essa doença, mas você não pode continuar a pôr alguém em tratamento inúmeras vezes. O que você deve fazer? Ser babá e viver com ele? O que pode fazer?"

0 comentários:

Postar um comentário